Gasolina: veja quais estados estão com o litro mais caro e entenda a diferença

A variação do preço da gasolina entre os estados brasileiros chegou a cerca de R$ 2 no mês de novembro. O Rio Grande do Norte é o estado em que o combustível está mais caro, com preço médio de R$ 7,208, e o Amapá é o mais baixo, chegando a R$ 5,912. A média geral do país é de R$ 6,753.

Os dados foram coletados no Portal da ANP (Agência Nacional de Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis). A agência atualiza semanalmente os valores médios ofertados nos postos de combustíveis.

Preço da gasolina por estado

Confira a média de preços da gasolina praticada em cada estado:

EstadoPreço médio da gasolina
Rio de Janeiro7,237
Distrito Federal7,214
Rio Grande do Norte7,208
Piauí7,204
Goiás7,194
Rio Grande do Sul7,082
Acre7,076
Minas Gerais7,024
Ceará6,966
Tocantins6,944
Mato Grosso6,784
Bahia6,751
Sergipe6,750
Espiríto Santo6,736
Rondônia6,739
Pará 6,734
Maranhão6,683
Alagoas6,605
Santa Catarina6,562
Mato Grosso do Sul6,546
Paraíba6,502
Paraná 6,481
São Paulo6,414
Roraima6,376
Amapá5,912

De acordo com o economista Jair Casquel Junior, a diferença na precificação da gasolina entre os estados pode ser explicada pelo valor do ICMS .

“A média nacional estabelecida para as alíquotas sobre o combustível varia entre 28% e 32%. No caso do Amapá, o que faz a gasolina ser mais barata é que o estado tem a menor alíquota de ICMS, 25%.”

Já o Rio de Janeiro possui alíquota de 34%, que é acima do padrão nacional. “No Rio de Janeiro é cobrado R$ 2,32 de imposto para um terço de gasolina de R$ 7,24. Isso significa que, a grosso modo, a cada três tanques que a pessoa enche, o quarto tanque é de imposto.”

Ou seja, para que o combustível sofra uma redução seria necessário que os estados baixassem as alíquotas.

Combustível

Contudo, vale reforçar que o valor do combustível está alto de uma forma geral e diversos fatores influenciam nesse preço.

“Uma parte do combustível que estamos pagando é para repôr prejuízos acumulados da Petrobrás, somado a isso também é preciso considerar o custo da importação de petróleo no mercado internacional.”

Segundo ele, apesar do Brasil ser um dos maiores produtores de petróleo, não tem tecnologia de refino e, por isso, precisa importar de outros países.

Além disso, o valor do petróleo está mais caro em todo o mundo, o que contribui para esse aumento, segundo o especialista. “O valor do petróleo afeta a inflação. O ideal era que os governos estaduais baixassem suas alíquotas.”

Portal Contábeis

Compartilhe

Posts Relacionados

Veja abaixo mais Notícias para o seu negócio