Demissão consensual garante saque parcial do FGTS e outros benefícios ao trabalhador

A demissão acordada entre as partes permite o saque de 80% do fundo de garantia

Uma das novidades apresentadas pela Reforma Trabalhista resolve um antigo dilema da área: o trabalhador que não tinha mais interesse em continuar na empresa, mas não pedia demissão para não perder os direitos e benefícios do regime CLT.

Esta situação acabava gerando conflitos e situações indesejadas entre as partes, pois comumente o empregador não realizava a demissão por não ser interessante financeiramente ou, muitas vezes, realizava um acordo ilegal de demissão, no qual o empregado deveria devolver os 40% de multa do FGTS, mitigando os prejuízos do término do contrato.

Demissão consensual

reforma trabalhista regulamentou e flexibilizou essa situação, permitindo que haja um acordo entre as partes para que a demissão consensual seja uma opção, beneficiando o trabalhador com prejuízos reduzidos ao contratante. 

Essa situação seria um meio termo entre o pedido de demissão e a demissão sem justa causa, legalizando o que antes era tido como fraude e que não havia garantias para as partes. Entenda como fica para o trabalhador:

  • Recebe metade do valor referente ao aviso prévio;
  • 20% da multa do FGTS;
  • Possibilidade de movimentar até 80% do saldo do fundo de garantia;
  • Não tem direito ao seguro-desemprego.

Além da garantia dos cumprimentos dos acordos entre as partes e o recebimento dos direitos, a demissão consensual garante a proteção jurídica e contábil tanto do empregador quanto do empregado.

Fonte: Portal Contábil

Compartilhe

Posts Relacionados

Veja abaixo mais Notícias para o seu negócio